Fact-checking como possibilidade de media accountability sobre o discurso político?

Uma análise de conteúdo das iniciativas Aos Fatos, Lupa e Truco

Palavras-chave: Fact-checking, media accountability, discurso político

Resumo

O artigo investiga a experiência de fiscalização do discurso político dos projetos de checagens Aos Fatos, Lupa e Truco. O estudo se debruça sobre os limites e os potenciais dos factchecking em desencadear a responsabilização de agentes públicos e suplementar a oferta de argumentos para cidadãos engajados no debate político. A análise mostrou que a ação de etiquetar não foi seguida à risca e a predominância de temas nacionais. Apesar de considerar que fiscalizar discursos errôneos tem o potencial de criar novas notícias e fatos políticos, funcionando como mais um controle externo, a busca por precisão e o confronto contínuo de políticos podem ter efeitos nocivos como amplificar processos de despolitização.

Biografia do Autor

Tatiana Maria Dourado, Universidade Federal da Bahia

Tatiana Dourado é doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da Universidade Federal da Bahia (Póscom-UFBA) e pesquisadora do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Democracia Digital (INCT-DD).

Referências

ADAIR, B.; STENCEL, M. How We Identify Fact-Checkers. 2016. Disponível em: . Disponível em: 28 maio. 2017.
ALBUQUERQUE, A. Protecting democracy or conspiring against it? Media and politics in Latin America: A glimpse from Brazil. Journalism: Theory, Practice & Criticism, 4 nov. 2017.
AMAZEEN, M. A. Journalistic interventions: The structural factors affecting the global emergence of fact-checking. 2017. Journalism: Theory, Practice & Criticism, 146488491773021. https://doi.org/10.1177/1464884917730217
BLUMBER, J. Mediatization and Democracy. In: ESSER, F.; JESPER, S. Mediatization of Politics. London: Palgrave Macmillan UK, 2014.
LOURENÇO, R.P. (2015). Analysis of open government portals: A perspective of transparency for accountability. Government Information Quarterly, 32 (3), 323–332. London: Elsevier. Retrieved August 07, 2015
GOMES, Wilson. Jornalismo, fatos e interesses: ensaios de teoria do jornalismo. Florianópolis: Insular, 2009.
MAIA, R. C. M. Mídia e diferentes dimensões da Accountability. E-Compós, Brasília, v. 7, p. 1-27, 2006.
NIEMINEN, S.; RAPELI, L. Fighting Misperceptions and Doubting Journalists’ Objectivity: A Review of Fact-checking Literature. 2018. Political Studies Review.
O’DONNELL, G. Accountability horizontal e novas poliarquias. Lua Nova, 1998 http://doi.org/10.1590/S0102-64451998000200003
PINHO, J.; SACRAMENTO, A. (2009). Accountability: já podemos traduzi-la para o português? Revista de Administração Pública, 43(6), 1343–1368. https://doi.org/10.1590/S0034-76122009000600006
SCHEDLER, A. Conceptualizing accountability. In: SCHEDLER, A.; DIAMOND, L.; PLATTNER, M. F. (Eds.). The self-restraing state. Power and accountability in new democracies. Boulder and London: Lynne Rienner Publishers, 1999
SCHUDSON, M. Why Democracies Need an Unlovable Press. Malden: Polity Press, 2008.
SHIN, J. et al. Political rumoring on Twitter during the 2012 US presidential election: Rumor diffusion and correction. New Media and Society, v. 19, n. 8, p. 1214–1235, 2017.
SHIN, J.; THORSON, K. Partisan Selective Sharing: The Biased Diffusion of Fact-Checking Messages on Social Media. Journal of Communication, v. 67, n. 2, p. 233–255, 2017.
STENCEL, M. Global fact-checking up 50% in past year. 2016. Disponível em: . Acesso em: 28 maio. 2017.
Publicado
2019-09-15
Como Citar
Dourado, T. (2019). Fact-checking como possibilidade de media accountability sobre o discurso político?. Compolítica, 9(2), 93-112. https://doi.org/https://doi.org/10.21878/compolitica.2019.9.2.143